HOME                    À CONVERSA COM                  O LIVRO                  AO QUILÓMETRO TAL                 ARQUIVO                 

"À Conversa com..." Os Armada de Lisboa

O blog “A Mulher dos 7 Ofícios” reflete apetências para ofícios em todas as áreas artísticas.  A música é um elemento que tem estado sempre presente, tanto na minha vida como no blog, em textos ou em acompanhamento aos  mesmos. Por isso, tendo tido conhecimento de um projeto que me chamou a atenção pela qualidade e exponencial sucesso propus-me à conversa com os A ARMADA.



A ARMADA DE LISBOA
audio aqui

No domingo passado, a convite dos membros do projeto, fui até aos estúdios Nirvana à box de ensaios d’ A Armada para assistir a um dos seus ensaios e podermos reunir todos os elementos necessários à nossa conversa. 
Depois de um ensaio focado na antevisão do concerto para Offbeatz Lisboa e num ambiente bastante descontraído tive o privilégio de me reunir com os cinco (mais um), para uma conversa informal, tal como se pode constatar pela gravação.

fotos de Ana Morais (eu)


É na voz de Pedro da Rosa que ficamos a saber que, em  2009, conjuntamente com os amigos David Pires (bateria), João Matos (baixo) e José Baptista (guitarra) se forma esta banda de Rock n’Roll chamada A Armada. A banda foi compondo o repertório que ia apresentando esporadicamente ao vivo por Lisboa. A saída do guitarrista leva à entrada de mais dois: David Ferreira e Ricardo Amaral.

Pedro da Rosa é Ribatejano, começou a estudar música muito cedo em Portugal, e continuou em Bruxelas, onde terminou o liceu e formou a sua primeira banda, de covers. Durante o período em que viveu na Bélgica, iniciou o estudo de guitarra com o jazzista Pierre Quinet. Regressou a Portugal onde integrou o curso de Engenharia Civil no Instituto Superior Técnico. Em 2006, co-formou a banda Os 400 Golpes, que, em 2008, muda o nome para Os Golpes, banda que edita um álbum e que mais tarde acaba por implodir. Em 2009, começa A Armada, onde canta e toca guitarra. Em 2010, co-funda uma editora, e, em 2011, produz o disco Gazela, dos Capitão Fausto. No presente, concilia o mestrado em Engenharia Civil com a profissão de músico e produtor.

David Ferreira é um guitarrista eclético autodidata. Tem registos editados em diversos géneros de música como o indie rock, a música de dança, o hip hop e o metal. Em 2012, integra A Armada, ao mesmo tempo que Ricardo Amaral.
Ricardo Amaral nasceu em Lisboa. Começou a ter aulas particulares de guitarra aos 11 anos, adquirindo noções básicas do instrumento. Aos 16 anos, mudou-se para a Nova Zelândia, onde viveu durante um ano. Regressou a Portugal e formou a primeira banda de covers. Em 2008, entrou para a Escola de Jazz Luis Villas Boas, e, no verão de 2009, mudou-se para Londres. Em 2010, concluiu o segundo ano do Hot Clube de Portugal e entrou para a Escola Superior de Musica de Lisboa onde conhece o David Pires (baterista). É neste mesmo ano que passa também a fazer parte da nova formação de A Armada, onde toca guitarra e faz coros.

Nascido em Lisboa, David Pires tem o seu primeiro contacto com a percussão em Moçambique, onde viveu parte da sua infância. Aos 11 anos, aborda pela primeira vez a bateria. Mais tarde cria uma banda de rock numa cave com o seu irmão e dois amigos. Daí nascem Os Pontos Negros, banda que compôs grande parte da sua experiência musical. Em 2009, forma A Armada, onde toca bateria e faz coros, e no entretanto inicia os seus estudos na Escola Superior de Música de Lisboa. Actualmente, integra a não só de esta formação mas também de outros projectos.

João Matos nasceu em Lisboa. Durante a adolescência criou, com amigos, várias bandas de punk onde tinha o papel de vocalista. Das aulas de flauta, no quinto e sexto ano, passou a estudos de guitarra eléctrica e bateria, que compra com o seu primeiro ordenado, como autodidata. Em 2009, adota o baixo como o seu instrumento. É formado em estatística e divide a sua ocupação entre o trabalho no ramo e a música. Em A Armada, toca baixo e divide o papel de vocalista com o Pedro.

Hugo Valverde é um elemento complementar e essencial a este grupo de amigos. Como técnico de som, tem sido um forte apoio e incentivo ao progresso deste projeto.  Pela sua presença constante, os cinco fazem questão de considerá-lo como elemento integrante e de agradecer não só a ele, mas também a todos os que, com muita boa vontade, têm juntado esforços para o desenvolvimento profissional deste fantástico projeto.
Começaram a divulgar o seu trabalho pela expressão visual com a realização de uma Curta Metragem de nome A Armada – Nos Bastidores da Verdade, que aconselho a todos ver. A curta foi apresentada no festival urbano de curtas metragens Shortcutz, e dela foi retirado o teledisco da música Charanga é Rock n’Roll, vencedor do vídeo revelação no festival de telediscos Offbeatz.
Com a nova formação decidem intensificar o trabalho, manter o nome e algumas das canções nunca editadas. Escolhem o single “Sinceramente”, que é gravado em Setembro 2011 nos estúdios da Valentim de Carvalho e a banda volta às filmagens com o respectivo teledisco.
A Armada começou a primeira tour pelo país em Fevereiro deste ano, enquanto se finaliza o primeiro disco, com saída prevista para Janeiro de 2014.
No entretanto, bonificam quem assiste aos seus concertos com gravações dos temas ao vivo a todos que demonstrarem no seu facebook que estiveram presentes, e deixam em expectativa a saída de mais cinco telediscos e diferentes abordagens na sua música. 


A quem ainda não viu e ouviu, aconselho vivamente! 
Obrigada a todos pela vossa disponibilidade e boa onda nesta conversa :) e desejos de muito sucesso, do qual espero ser testemunha!

http://www.facebook.com/armadadelisboa


l

Sem comentários:

Enviar um comentário