HOME                    À CONVERSA COM                  O LIVRO                  AO QUILÓMETRO TAL                 ARQUIVO                 

"Afinal..."


...e depois há aqueles dias em que acordas e nem tens tempo para pensar no dia que vais ter pela frente. Pensas que é só mais um dia e sais de casa vestida com o sorriso que estranhamente viste ao espelho entre o cabelo ainda despenteado. Vais trabalhar a cheirar a pijama e, ao olhar para baixo, com os olhos ainda cheios de remelas, achas piada à cabeça de urso das pantufas que já não trazes calçadas. Estás atrasada! Esqueceste-te de praticamente tudo em casa, não tens um tostão no bolso, mas o passe ainda funciona. Chegas ao teu destino. Respiras fundo, porque o simples ato de respirar te parece lógico, e reparas que aquele sorriso te continua a vestir. Picas o ponto e afinal o teu relógio estava adiantado, afinal escolheste a roupa certa para vestir e, ao entrares, elogiam o teu perfume, que afinal puseste depois de tomares banho. O tempo abranda, mas nada mudou. Ainda te veste aquele sorriso que viste ao espelho nessa manhã apressada, em que afinal não chegaste atrasada. 
Sais do trabalho a sentir em ti todos os aspetos do cansaço, achas que já não estás em condições sequer de te apresentar em via pública... mas eis que encontras uma cara conhecida que repara no teu sorriso, afinal ainda estás “bem vestida” e partilhas agradáveis “dois dedos de conversa”. Envolve-te a emoção, o carinho traduzidos em dois braços entrelaçados em ti. E és acompanhada por mais um belo sorriso.  Quando, ao virar  da esquina, chegam mais dois braços acompanhados de duas pernas que não sabem bem o caminho, vês que vêm ao teu encontro! Mais conversa, propositadamente errónea, porque o ridículo  tem sempre a sua piada. Adiciona-se mais um sorriso. Uns passos à frente e um pensamento transborda-te por mais dois braços que surpreendentemente te envolvem. Sempre gostei de gente “bem vestida”, e que bem que se “vestem” estes meus amigos.
Afinal, quem me vestiu pela manhã foi a Vida, porque me deu mais um dia para sorrir. Porque afinal o que me corre nas veias é sangue com letras, até ao dia do ponto final. 




4 comentários:

  1. Opah! Achas mesmo que tenho de comentar?
    Eu adorava saber onde é que descobres as palavras e as encaixas tão bem umas com as outras!

    Beijo grande da tua fã!

    ResponderEliminar
  2. Afinal, ficas sempre bem na 'fotografia' =D

    ResponderEliminar